Como construir uma via de acesso político?


ANA AMÉLIA LEMOS, PRÉ-CANDIDATA AO SENADO PP-RS por Progressistas-RS

Fonte: http://www.flickr.com/search/?w=all&q=ana+amelia+lemos+&m=text

1 – Algo sobre captar eleitores e poder de influência.

A resposta implica em várias possiblidades, mas uma delas é: tenha um espaço de programação midiático, que preferencialmente seja na Rede Globo ou em algumas de suas associadas. Isso irá garantir uma visibilidade e uma exposição incomparáveis. Aqui podemos facilmente pinçar alguns nomes que foram praticamente catapultados ao cenário político e que tem origem em passagens profissionais no Grupo Rede Brasil Sul de Comunicações:

a) Yeda Crusius, atual governadora do Rio Grande do Sul, e que nestas eleições de 2010 concorreu à reeleição, não obtendo vinte por cento dos votos válidos.  Antes da carreira política, trabalhou como comentarista economica na RBS.    

b)Paulo Borges, o” homem do tempo”, que falava a respeito da meteorologia na RBS.     

c)Antonio Brito, que era comentarista político e repórter na RBS e que passou à notabilidade nacional quando da enfermidade que vitimou Tancredo Neves, ex-governador do estado.   Sérgio Zambi, senador do Rio Grande do Sul .     

Em nível nacional, igualmente encontraremos vários exemplos. Por outro lado, há aqueles que, atualmente trabalhando na RBS, provavelmente se elegeriam caso optassem pela vida política. São exemplos claros Lasier Martins e Paulo Santana, e por aí segue uma seleta lista.

O grupo RBS não apenas influi na vida política, economica, cultural e social do estado de modo bastante contundente, pautando o que os gaúchos discutem todos os dias, mas também tem poder de fogo para o jogo político propriamente dito. Independente de uma aparente neutralidade, é óbvio que a exposição midiática é acesso privilegiado à seara política.     

Vejamos o caso de Ana Amélia Lemos.

A mesma, em nenhuma de suas propagandas explicitou a sigla do partido ao qual se filiou (PP). Apenas concorreram no processo a sua imagem profissional e midiática acrescida de comentários baseados no senso-comum e que abocanharam 3.401.241 de votos e a catapultaram como segunda vaga do Rio Grande do Sul ao Senado. Com tal votação ultrapassou Germano Rigotto (PMDB, 2.445.881 votos), ex-governador do Rio Grande, José Fogaça (PMDB, candidato ao governo do estado e atual prefeito de Porto Alegre, com uma votação de 1.554.836) e, por um nada, quase ultrapassa mesmo o eleito Tarso Genro (PT, 3.416.460 votos) ao governo do estado. 

Perdeu como primeira candidata ao Senado para Paulo Paim (PT, 3.895.822 votos). (*)    

Um dos motes da jornalista é seu conhecimento dos “corredores de acesso em Brasília”. Presume-se que a futura senadora utilizará sua experiência como jornalista de décadas na Capital Federal, e que as suas fontes não irão secar. A senadora, embora não tenha exposto qualquer pretensão quanto a políticas públicas irá, com base em sua experiência “melhorar a vida dos gaúchos”, ao mesmo tempo em que “cuidará de seus interesses”. Ingenuidade tem hora. Nada melhor do que muitos anos de exposição diária na mídia e um rosário de comentários economicos e políticos convenientes.

Melhor ainda trabalhar em áreas sensíveis como economia e política, o que sempre garante audiência e aumenta o poder de influência do comentarista, além de reforçar uma imagem culturalmente privilegiada e em tudo positiva dentro do imaginário popular.  Por outro lado, os eleitores já estarão de todo submetidos ao encanto de tão expressiva pessoa e de suas articulações tão bem colocadas. Importa ao futuro eleito ter a inteligência de não se envolver em questões polêmicas e dizer o que a esmagadora maioria quer ouvir, em um exercício diário de influência baseada no senso-comum e na retórica da conveniência.         

 

 Neste cenário, porque seria exigida coerência política, ou história partidária, propostas viáveis e convicções?

Vivemos em um mundo no qual o imagético e a influência midiática são absolutamente dominantes, assim como é lastimável a passividade do recebimento não-crítico dos meios de comunicação. Há uma infinidade bibliográfica que trata das estratégias e do poder desencadeado pela mídia televisiva, radiofonica e jornalística. Basta ler, por exemplo, “Televisão subliminar: socializando através de comunicações despercebidas”, Joan Ferrés, Artmed, 1998 ou, talvez, “Controle da Mídia, os espetaculares feitos da propaganda”, de Noam Chomsky, Ed. Graphia, 2002, entre centenas de títulos que tratam do tema.  

De todo modo, se você quiser construir uma estratégia bem razoável de ingresso no mundo político, não é absolutamente necessário ter uma história partidária, evitando assim as peculiares armadilhas que surpreendem os neófitos. É importante que você conduza com sobriedade uma carreira dentro de um grupo de comunicações que lhe dê alta visibilidade e possibilidades de participar de todas (ou quase todas) plataformas de mídia. 

Fazer-se presente nos eventos nos quais haja um foco econômico, político ou social e preservar sua imagem pública é fundamental. Com o tempo, você desenvolverá um timming e um sentido de oportunidade invejáveis. Vá amealhando possibilidades, prime por uma linha argumentativa conveniente, diga o que importa e interessa e ignore solenemente outras interpretações. Alguém tem de falar o óbvio. Ah, sim, escolha algo no legislativo. Normalmente o executivo se transforma em um forno de microondas.

Utilize a sua experiência e a sua imagem para influir no pensamento de terceiros. 

 

Feito isso, os partidos irão procurar você. Seu nome passa a ser uma moeda forte dentro do campo político, e ser cortejado é apenas uma questão de tempo (e de negociação, lógico…). Questões partidário-ideológicas não interessam tanto. Ah, sim, seja compassivo(a), maternal, diga que é necessária a sua eleição e que irá cuidar do interesse dos seus eleitores. Bingo! Até a eleição! 

2 – O tamanho do Grupo RBS

Imagine a área de influência direta de um grupo de comunicações que possui 57 veículos de mídia concentrados no Rio Grande do Sul e Santa Catarina, com negócios na área de TV a cabo, internet, mercado editorial e indústria fonográfica.  Afora isso, diga-se que o grupo possui 18 emissoras de televisão e 21 de rádio FM, além de geradores de TV com 259 retransmissoras em todo o Estado. Segue a lista completa do grupo:

Rádio Atlântida Santa Maria – Santa Maria (RS), A Notícia – Joinville (SC), CANAL RURAL – Porto Alegre (RS), CBN 1340 – Porto Alegre (RS), CBN Diário AM – Florianópolis (SC), Cidade FM – Porto Alegre (RS), Diário Catarinense – Florianópolis (SC), Diário de Santa Maria – Santa Maria (RS), Diário Gaúcho – Porto Alegre (RS), Gaúcha FM – Porto Alegre (RS), Gaúcha OC – 11915 – Guaíba (RS), Gaúcha OC – 6020 – Guaíba (RS), Hora de Santa Catarina – Florianópolis (SC), Itapema FM 95,3 – Joinville (SC), Itapema FM Caxias do Sul – Caxias do Sul (RS), Itapema FM Florianópolis – Florianópolis (SC), Itapema FM Porto Alegre – Porto Alegre (RS), Itapema FM Santa Maria – Santa Maria (RS), Jornal de Santa Catarina – Blumenau (SC), Pioneiro – Caxias do Sul (RS), Rádio Atlantida Tramandaí – Tramandaí (RS), Rádio Atlântida Blumenau – Blumenau (SC), Rádio Atlântida Caxias do Sul – Caxias do Sul (RS), Rádio Atlântida Chapecó – Chapecó (SC), Rádio Atlântida Criciúma – Criciúma (SC), Rádio Atlântida Florianópolis – Florianópolis (SC), Rádio Atlântida Joinville – Joinville (SC), Rádio Atlântida Passo Fundo – Passo Fundo (RS), Rádio Atlântida Pelotas – Pelotas (RS), Rádio Atlântida Porto Alegre – Porto Alegre (RS), Rádio Atlântida Rio Grande – Rio Grande (RS), Rádio Atlântida Santa Cruz do Sul – Santa Cruz do Sul (RS), Rádio Farroupilha – 680 – Eldorado do Sul (RS), Rádio Gaúcha AM – Porto Alegre (RS), Rádio Pop Rock FM – Bagé (RS), Rádio Rural – Eldorado do Sul (RS), RBS TV Bagé – Bagé (RS), RBS TV Blumenau – Blumenau (SC), RBS TV Caxias – Caxias do Sul (RS), RBS TV Centro-Oeste – Joaçaba (SC), RBS TV Chapecó – Chapecó (SC), RBS TV Criciúma – Criciúma (SC), RBS TV Cruz Alta – Cruz Alta (RS), RBS TV Erechim – Erechim (RS), RBS TV Florianópolis – Florianópolis (SC), RBS TV Joinville – Joinville (SC), RBS TV Passo Fundo – Passo Fundo (RS), RBS TV Pelotas – Pelotas (RS), RBS TV Porto Alegre – Porto Alegre (RS), RBS TV Rio Grande – Rio Grande (RS), RBS TV Santa Cruz do Sul – Santa Cruz do Sul (RS), RBS TV Santa Maria – Santa Maria (RS), RBS TV Santa Rosa – Santa Rosa (RS), RBS TV Uruguaiana – Uruguaiana (RS), TV Com – Porto Alegre (RS), TVCOM – CANAL 36 – Porto Alegre (RS), Zero Hora – Porto Alegre (RS)

Fonte, TRE-RS, em 04/10/2010, 21 horas.  http://www.tre-rs.gov.br/eleicoes/2010/1turno/RS.html   

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s