Vida ruim prá cachorro


Escrevi esse texto em 10-10–2006 

Há algo errado comigo. Eu devo estar doente. Eu não tenho um cão para bater fotografias, para passear pelos parques, para mostrar para as amigas.

Há algo errado comigo. Eu não tenho um cão para comprar coisinhas em pet shop, fitinhas, lacinhos, e outras cositas mais, e, como não tenho um cão, um gato ou um esquilo de estimação, também não tenho de me preocupar com a data que o cão faz aniversário, nem levá-lo ao veterinário nem saber se está na época do cio ou o que vai acontecer com sua sexualidade canina.

Há algo errado comigo. Os escaninhos da minha escola estão cheios de fotografias de cães, só cães, e no meu escaninho não há uma só fotografia sequer de um mini qualquer coisa. Cada vez algumas raças de cães ficam menores, qualquer dia estamos trocando um cão por um chaveirinho.

Mas eu acho que se eu tivesse um cão, eu o trataria bem. Mas ele seria um cão. Não iria querer que o meu cão tivesse uma vida de coelho ou de tartaruga. Ele teria de ter espaço para andar, ossos e rações para comer, cadelas para cobrir normalmente. E deveria brigar de vez em quando, mostrar os dentes.

Não gostaria de ter um cão de guarda, mas também não gostaria que ele fosse menos do que um cão deve ser. Ah, sinceramente acho ruim para o cão ter de adotar hábitos semi-humanos, como se fosse um brinquedinho eletrônico, um gadget.

E, entre nós, aqui bem entendidinho: embora cão não seja criança, para muitos isso é uma grande vantagem. Também é mais fácil ter um cachorro do que uma criança. É mais confortável gritar com um cão do que com o seu colega ou com o seu vizinho ou mesmo com o seu parente que, justamente por não latir, argumentam. Também porque as mordidas humanas são bem mais sérias do que as caninas.

E, cá pra nós, pobre do cão, tendo de se adaptar ao carpete ao invés do solo, de bancar o modelo de fotografias à toda hora e aguentar um monte de chatos e chatas dependuradas, carregando prá cá e prá lá, tratando o animal como se fosse uma porcelana chinesa do século qualquer-coisa-antes de cristo, como um andor de carolas, sinceramente, isso não é uma vida de cão. É uma vida ruim prá cachorro!

Hilton Besnos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s