Karl Marx


 

Brevíssima tentativa de síntese de Karl Marx, autor Hilton Besnos (não quero responsabilizar ninguém mais por isso)

Concepção de sociedade Concepção de ser humano Concepção e função da educação Práticas pedagógicas decorrentes da teoria marxista
A sociedade é reflexo dos meios de produção, ou seja, das relações que se dão em nível de trabalho e que influenciam uma tensão entre o capital, de um lado, e o trabalho de outro.A contradição havida entre capital e trabalho é o elemento que origina os problemas sociais e a exploração predatória de uma classe (capitalistas) sobre outra (proletários). 

Não há justiça social porque o capital sempre prevalece sobre o trabalho, encarado este como uma mercadoria, fazendo parte apenas dos custos de produção.

As injustiças sociais dão-se através da mais valia, ou seja, pela diferença havida entre o pago pelo trabalho e pelo ganho recebido pelo capitalista.

Assim, é uma relação assimétrica e desigual, em que o trabalho não possui as mesmas armas de barganha que o detentor do capital.

A injustiça social proposta pelo capitalismo somente poderá ser erradicada através da conscientização dos trabalhadores no sentido de perceberem e agirem sobre os meios de produção, através de uma luta política para a construção do socialismo.

Para Marx, o capitalismo é essencialmente mau em sua concepção e desumano em sua prática. Assim, não contemporiza com o mesmo, dizendo claramente que o mesmo deve ser eliminado, por ter em sua essência a exploração do homem pelo homem.

O homem deve conquistar sua emancipação social através de sua criticidade em relação ao ambiente em que configura a sua vida. Deve participar de uma luta política para superar a contradição capital / trabalho.O homem perdeu o controle sobre uma produção que não é sua. Assim, aliena-se em seu próprio trabalho. 

Por não compreender os meios de produção, tão-só vende seu trabalho, ou seja, seu tempo de atividade ao capital, mas não tem condições de entender tal alienação.

A apropriação dos meios de produção é que explica o modo de pensamento do homem; ele está automaticamente inserido dentro de uma sociedade que possui sua própria práxis produtiva.

Os sistemas de crenças e paradigmas são decorrentes de uma ideologia na qual a visão hegemônica é a capitalista.

Tais sistemas ideológicos são plantados de forma eficaz dentro da cultura dominante, disfarçando aspectos que são tomados como indiscutíveis, como topos, quando, em verdade apenas buscam a alienação do trabalhador em relação ao pensamento capitalista. Há, portanto, uma imposição de valores sutil como sendo a única visão correta da sociedade.

Marx não tem uma teoria educacional, mas tem idéias sobre educação.Para Marx a educação é uma educação de classes, ou seja, visa atender os interesses da classe hegemônica, cultural e financeiramente ascendentes. 

A educação para a classe dominante busca criar condições para educar os filhos das classes dominantes no sentido de dirigir a sociedade segundo seus interesses, enquanto a educação para os filhos dos proletários possui ênfase na disciplina e na adestração para o trabalho.

Para Marx a educação serve como transmissora dos ideais capitalistas, passando assim uma ideologia fundada nos padrões estabelecidos pela mesma.

A classe trabalhadora não deve desistir da educação, mas lutar para que a mesma igualmente represente os interesses das classes trabalhadoras.

Como adicional, podemos citar que no livro “O Ensino na Sociedade do Conhecimento” (Artmed, Porto Alegre, 2004), o pensador educacional Andy Hargreaves refere-se claramente a dois tipos de educação ou seja, duas intencionalidades absolutamente claras em relação às elites e aos despossuídos: um voltado para as elites e outro voltado para as classes economicamente subalternas. Hargreaves chega a cunhar uma expressão interessante: “apartheid cultural”.

Vários educadores tem base no pensamento marxista propondo uma educação voltada para a construção do conhecimento em razão da história do educando e no privilegiamento da dialética educando – educador.Contrariamente ao tecnicismo (voltada para a preparação de mão-de-obra) ou à escola clássica (padrões positivistas  – Augusto Conte, séc. XIX ou iluministas, século XVIII) as práticas pedagógicas marxistas privilegiam os pontos já referidos. 

Entre tais práticas pedagógicas podemos citar o construtivismo de Lev Vygostskii, para quem a aprendizagem se constrói na interação com o outro, respeitada a historicidade de ambos e a teoria pedagógica psicossocial de Paulo Freire, que busca, em suma, que o homem se reconheça como mais e busque  sua capacidade ontológica de crescimento. Para Freire o homem deve desenvolver seu pensamento crítico a partir de sua própria alienação, reconhecendo-se como explorado e alienado e evoluindo até o pensamento crítico. A escola freiriana é voltada para o estabelecimento do diálogo como meio de expansão das possibilidades do homem atuar sobre seu meio.

As práticas pedagógicas baseadas no marxismo reconhecem a dicotomia capital/trabalho, e não pretendem simplesmente a inserção do homem no mercado de trabalho, mas sua criticidade aos meios de produção como forma de desenvolver autonomia não só pedagógica mas sobretudo social.

 

 

1 – Como Marx se posicionava (mudança e melhoria ou transformação) em relação ao Projeto da Modernidade, por ele chamado de capitalismo ou capitalista? Por que?

É a favor da transformação como modo de superar a contradição capital x trabalho, eliminando a mesma.

2 – Qual foi o ponto de partida de Marx para a análise da sociedade? Quais são os aspectos centrais de sua análise?

A injustiça social que o fez perceber a existência de duas classes: a dos proprietários dos meios de produção e a dos proprietários da força de trabalho, no qual a primeira explorava a segunda, vista como uma mercadoria, cujo excedente beneficiava a primeira, através do lucro obtido nas atividades produtivas.

3 – Para Marx, o que é e como ocorre a alienação humana?

Alienação humana. A força de trabalho acaba sendo considerada uma mercadoria, que produz lucro para a classe empresarial. O trabalhador não tem tempo para pensar, apenas produzir, terminando dessa maneira alienado do mundo, ou seja, das coisas ao seu redor. Igualmente não mais detém o controle sobre o seu trabalho e o tempo passa a ser unicamente um índice de produtividade.

4 – Como Marx analisa o papel do Estado?

Era um estado autoritário e regulador que visava o benefício das classes dominantes.

5 – O que é a ideologia para Marx?

É uma imposição de valores e idéias da classe dominante sobre a classe dominada, fazendo-a acreditar que esta é a  única visão correta da realidade. Dessa maneira fica bem mais fácil para os grupos dominantes exercer a exploração sobre o restante da sociedade.

6 – Para Marx quando e com ocorre a emancipação humana?

A emancipação ocorre quando a classe trabalhadora passa a desenvolver uma consciência crítica em relação a contradição existente entre capital e trabalho e passa a entender como se organizam os meios de produção.

7 – Qual é a proposta de Marx para a emancipação humana? Que caminhos apontava para a superação dos problemas sociais?

Que a classe trabalhadora, em razão do desenvolvimento de sua consciência crítica, se organizasse e passasse a lutar pelos seus direitos.

8 – Qual é a visão de Marx sobre a educação? Quais os objetivos da educação escolar?

A educação escolar vem desempenhando o papel de transmissora da ideologia dominante. A educação é de classe e nesse sentido a escolaridade para a classe trabalhadora tem dois objetivos: preparar a consciência do indivíduo para perceber apenas a visão de um mundo no sentido empresarial como correta, limitando o conhecimento da classe trabalhadora para o desempenho de suas funções sociais e laborais segundo a ótica das classes dominantes. Assim a escola reproduz a desigualdade da sociedade capitalista.

9 – Para  Marx, a educação (escola) pode contribuir para a emancipação humana e para a transformação social? Como?

Pode, a partir da negação da classe trabalhadora em abandoná-la; ao invés disso deve exigir fortemente seu direito a educação e agir politicamente para que a escola igualmente represente os interesses da classe trabalhadora.

10 – Que práticas pedagógicas se imspiram na sua teoria?

Aquelas que buscam não reproduzir o status social hegemônico, ou seja, aquelas que adotam uma linha construtivista. A pedagogia apoiada em Vygotski talvez seja o mais poderoso exemplo, a partir do momento em que existe historicidade influente em tal processo de aprendizagem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s