Para Francisco PM


IN MEMORIAM

Pai, isso é o que gostaríamos de dizer-lhe em despedida.

Deus foi tremendamente bom para todos ao dar-nos o pai que nos deu. Nunca tivemos nada do que nos queixarmos, somente orgulho. Acreditamos que seus amigos e parentes aqui presentes diriam o mesmo e nossa mãe também não reclamaria nada do marido que teve.

Você começou tudo pelo coração. Nos fez grandes quando ainda éramos pequenos. Incutiu em nossas cabeças o trabalho, a garra, a coragem, a determinação, nos fez crer que somente trabalhando teríamos uma vida digna. Você, com seu jeito, coloriu tudo e a todos e ainda nos ensinou a escolher a cor (as boas amizades).

Deixou para nós esta dádiva estimável que foi o desejo e a alegria pelo ttrabalho. Isto nos excitou à ação muito cedo.

Você não admitia obstáculos, estava sempre disposto para o trabalho. Nunca o vimos queixar-se de estar sentindo-se cansado ou com algum problema que o impedisse de trabalhar. Você tinha um apego a formalidade, ao trabalho e à perfeição, de fazer inveja. Você era ilimitado. E esta é uma dádiva especial que Deus concede a poucos homens. Você era um deles – inteligente, manso, lobo feroz, cordeirinho… Devemos tudo a você: bom pai, bom amigo, um homem de um caráter raramente encontrado…

Sua obra é motivo de orgulho para todos nós e as lágrimas que aqui derramamos é por não nos conformarmos que seus dias de trabalho não chegaram ao fim. Você não parou de trabalhar. Foi colhido na rua por um automóvel que lhe tirou a vida, trabalhando, de uma forma muito cruel (diferente da maneira de como você nos preparou – desde pequenos o ouvimos dizer que só “viajaria” quando estivesse bem velhinho. E você estava tão saudável ultimamente!) então, como nos conformarmos com isso?

Lamentaremos muito as coisas desprezíveis que lhe dissemos alguma vez em uma discussão ou debate e nunca tivemos a oportunidade de nos desculparmos. A verdade para nós é que você está indo muito cedo. Mas é isto, aceitaremos o que Deus nos oferecer e dedicaremos cada dia de trabalho à perfeição do que aprendemos contigo. Tudo que você nos ensinou permaneceu em nossos corações e continuará sempre a nos inspirar.

Faça uma boa viagem, pai. O Parque da Paz é um lugar muito bonito, mas não se compara ao lugar onde você está indo morar. Vá pelo lado da sombra, proteja-se e não esqueça seu chapéu. Durma com os anjos, herói. Forre o nosso lugar e nos dê a mão, mais uma vez, quando um de nós lá chegarmos. Nosso carinho. Nosso adeus.

Seus filhos

cinco de março de 1989.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s